HISTÓRIAS DE ALPENDRE

11 regras para se tirar uma botija


Origem das botijas

Quanto ao encontro de ouro e jóias, não parece impossível que ocorram conforme a crendice popular, por um motivo muito simples. Nos tempos remotos, não existiam, como hoje, os estabelecimentos bancários e os homens de dinheiro, tanto do alto comércio como os fazendeiros e criadores mais ricos, com receio de forças invasoras que travavam lutas ou guerras no Brasil, e de bandoleiros em grupos que roubavam por onde passavam, faziam a ideia de enterrar jóias e dinheiro dentro de casa ou nos matos uma forma segura de guardar seu tesouro.

Sucedendo morrer de repente de causa natural, de acidente, ou ainda por um atentado criminoso, partiam para a última viagem, levando consigo o segredo que a traição da morte não lhe permitira revelar à sua família.

Mensagens do além

Com o espírito perturbado pelo seu egoísmo aqui na terra, para não continuar com a alma penada, aparece em sonho, ou mesmo materializado, a alguém, implorando que arrancasse para si o tesouro ou botija que, em vida, havia enterrado, indicando-lhe o local.

Como tirar uma botija
11 regras para se tirar uma botija.
Para desenterrar uma botija é preciso obedecer a certas regras:

1) É preciso ir à noite, sozinho, sem falar com ninguém e em silêncio. Se contar a outra pessoa, o tesouro some.

2) Se outra pessoa for pegar a botija sonhada por alguém, não encontra nada, quando muito, uma panela de carvão ou folha secas no lugar do tão cobiçado ouro ou jóias.

3) Se você quiser levar alguém ou dar a botija para outra pessoa, tem que pedir a alma primeiro. E só ela pode autorizar.

4) O resgate deve ocorrer à meia noite.

5) Sempre rezando o "Pai-Nosso e Ave-Maria" em silêncio, durante toda caminhada até o local e na hora de arrancar a botija.

6) E é preciso traçar um "Escudo Salomão" (Também conhecido como signo de Salomão ou sino de Salomão, é uma estrela de cinco pontas, ou pentagrama) antes de começar a cavar.

(Escudo de Salomão) Se for na areia, desenhar com uma pedra. Se for em uma parede, desenhar com giz. É fácil desenhar, é apenas um triângulo com a ponta para cima, outro triângulo com ponta para baixo.

7) Nunca olhar para os lados nem para trás, isso é sinal de cobiça, e o tesouro desaparece ou vira algo sem valor.

8) É preciso ter muita coragem, para resistir as "Visões Macabras" - Normalmente o escolhido para tirar a botija tem visões macabras, como fogo queimando o corpo, fogo corredor, cobras de todos os tamanhos se enroscando-se nas penas, sombras com olhos brancos, bodes negros com os olhos em brasa, uivos aterrorizantes e espíritos penados arrastando correntes. É comum aparecer almas e demônios para impedir a escavação.

9) Nunca desista depois de começar a desenterrar uma botija, sob pena de cair na "Maldição dos Covardes" e terminar a vida em estado deplorável de pobreza.

10) Retirada a botija, primeira coisa a se fazer é mandar rezar um missa para alma que lhe escolheu.

Há vários relatos de pessoas que tiram a botija e não mandaram rezar uma missa para a alma, da maneira rápida da qual ficaram ricos, mais rápida perderam tudo, e até ficaram mais pobre que antes.

11) Acenda uma vela "benta" para alma penada. Ela precisa de luz na sua caminhada.

Muito importante

É preciso ter muita coragem.

Não seja levado pelo desejo de ganância, quanto maior a ganância, maior será o nível do terror na macabra empreitada. podendo chegar ao um ponto insuportável.

Nunca desista depois de começar a desenterrar uma botija.

A botija pode ser um pote de barro (cerâmica) ou baú de madeira.

Antes de gastar um mísero centavo, deve-se mandar rezar uma missa pelo defunto é muito importante, e o resto fica para o herói que, afrontando os perigos do além, desenterra o tesouro, libertando a alma penada para continuar sua viagem, sua evolução.

Fonte: Redação OpenBrasil.org
Foto: OpenBrasil.org

Histórias de Alpendre - OpenBrasil.org

Postagens mais visitadas