HISTÓRIAS DE ALPENDRE

O Gato Herói



Era uma vez uma velha senhora, que morava em um antigo casarão de uma fazenda no sertão do Seridó. Ela tinha um casal de filhos, já formados que moravam na capital já algum tempo. Uma médica, e um advogado.
Os filhos andavam muito preocupados com sua mãe, apesar de vários e vários convites para ela vir morar na capital na casa de um deles, ela insistia em ficar na fazenda.
Logo agora que ficou viúva, ficar sozinha naquele casarão, mas ela sempre respondia:
- “Não vou sair da minha casa não, nasci aqui, cresci aqui, casei aqui e vou morrer aqui igual ao pai de vocês. ” Não teve jeito...
Na fazenda tem casa de empregados perto, por sinal gente de muita confiança que trabalham há anos, mas no casarão ela fica só.
Um belo dia, os filhos chegaram para uma visita de final de semana, então para fazer companhia para sua mãe trouxeram um belíssimo gato branquinho de olhos azuis.
A velha senhora adorou o presente, tanto que exclamou:
- “Esse gato é tão lindo, mas tão lindo que só falta falar...”
Passado o tempo, talvez pela solidão, a velha senhora desenvolveu uma mania, pedir para o gato falar. Falando sempre com ternura, uma voz doce como se falasse com um bebê:
- “Fale gatinho, fale para mamãe! ”
O gatinho olhava assim para ela com aqueles olhinhos azuis e fazia
- “Miau. ”
Dia após dia era a mesma coisa...
- “Fala gatinho, fala! Eu sei que você fala, mas miau não, fale algo! ”
- “Miau. ”
E assim e se passou dez anos, mas ela nunca desistiu em pedir ao gato para falar, conversar com ela.
Um dia, no mês de agosto, como de costume a velha senhora estava assistindo a novela da tarde em sua cadeira de balanço na sala, e o gatinho deitado no chão sobre um tapete, lá fora uma ventania muito grande.
O gato levantou do tapete e disse:
- “Senhora, olha para cima! O vento vai derrubar aquela telha na cabeça da senhora, saia daí! “
A senhora levantou toda contente, começou a pular de alegria, pois o gato finalmente tinha falado com ela.
- “Meu gato fala. “
- “Senhora, me ouça, senhora!!! “ – exclamava o gato, mas a senhora só pulava de alegria.
- “Meu gato fala, eu sabia que um dia ia falar! “
- “Senhora, saia daí, é perigoso! “
O gato já desesperado até ficou em pé em duas patas apontou com sua patinha dianteira para a telha que ameaçava cair sobre a senhora.
- “Meu gato fala, e ainda dança, lá, lá é lá... “
Não teve jeito, veio um vento mais forte e whap! vapt! va-voom! tou! No meio da cabeça da pobre senhora, cacos de telha para todo lado e a senhora caída no chão.
O gato olhou para senhora desmaiada e falou em tom de ironia:
- “Vai entender os humanos, passou 10 anos da minha vida pedindo para falar todos os dias, quando resolvo falar, ela não me ouve... nãn! “
O gato foi até a casa de um dos trabalhadores da fazenda, e ficou miando insistentemente o pessoal desconfiou e foi ver a pobre senhora. Constatando o acidente chamaram o médico da cidade.
- “Nada grave, apenas um belo galo na cabeça – disse o médico. “
Os filhos vieram vê-la e indagaram a mãe:
- “Mãe, me conte como foi isso? ”
- “Estava assistindo minha novela, de repente tudo escureceu, quando acordei o Dr. estava me chamando, e eu caída no chão. “
O médico explicou que não forçasse muito, em casos como este, uma pancada na cabeça, o paciente não lembra o acontecido no momento, têm uma pequena amnésia.
Passados alguns dias a velha senhora voltou para sua rotina de sempre.
- “Gatinho, fala para mamãe, fala... “
- “Miau. “
A filha que resolveu passar as férias na fazenda para ficar com a mãe, exclama.
- “ Bem, mamãe, falar ele não fala! Mas é um verdadeiro herói, pois foi ele quem chamou o morador. “
- “É verdade minha filha, um herói. “
E as duas saíram para o alpendre, o gato murmura.
- “Humanos, para que gastar minha voz, se não têm ouvidos para ouvir um bom conselho. Miau, miau e miau. “

Fonte: Redação OpenBrasil.org
Foto: OpenBrasil.org

Histórias de Alpendre - OpenBrasil.org

Postagens mais visitadas